Áreas de Concentração e Linhas de Pesquisa

Neuropsicobiologia

Linhas de pesquisas: Neuropsicobiologia

NomeDescriçãoDocente(s) responsável (is)
Aprendizagem e memória emocional em ratos (M/D)Estudar a farmacologia da aprendizagem e memória emocional em ratos, mediante a utilização de modelos animais de distúrbios psiquiátricos.
Estudar os correlatos metabólicos de tal aprendizagem
Prof. Moacir Serralvo Faria
Dr. em Fisiologia - UNICAMP
Labotatório de Ciências Fisiologia
Fones: (48) 3721-4692
(48) 3721-9444 - ramal 214
m.serralvo@ufsc.br
Avaliação da analgesia induzida pelo exercício físico e das práticas integrativas e complementares (PICs) e investigação dos mecanismos neurobiológicos subjacentes a estes efeitos (M)Investigar através de estudos pré-clínicos e clínicos a ação antinociceptiva (analgésica) e anti-inflamatória do exercício físico e das práticas integrativas e complementares, com ênfase: na medicina tradicional chinesa/acupuntura, aromaterapia e termalismo. Profa. Leidiane Mazzardo Martins
Dra. em Neurociências - UFSC
Depto. de Ciências Morfológicas - CCB
Fone: (48) 3721-7149
leidiane.mazzardo@ufsc.br
Controle neural do metabolismo e do comportamento ingestivo (M/D)Esta linha examina os mecanismos neurais envolvidos no controle da ingestão de alimentos e de água, e de seus correlatos metabólicos (níveis sanguíneos de glicose e de ácidos graxos (livre) em aves e mamíferosProfa. Marta Aparecida Paschoalini
Dra. em Fisiologia - FMRP/USP
Laboratório de Ciências Fisiológicas
Fone: (48) 3721-9444 - ramal: 204
marta@ccb.ufsc.br
Estudo do metabolismo do colesterol no sistema nervoso central e sua relação com o desenvolvimento déficits cognitivos e doenças nerodegenerativas, como a doença de Alzheimer (M)Estudar, por meio de modelos experimentais in vivo e in vitro, os mecanismos moleculares responsáveis pelo declínio cognitivo associado com a hipercolesterolemia, objetivando caracterizar a relação da hipercolesterolemia com a fisiopatologia da doença de Alzheimer, bem como ao desenvolvimento de abordagens terapêuticas e preventivas.Prof. Eduardo Luiz Gasnhar Moreira
Dr. em Neurociências - UFSC
Laboratório de Ciências Fisiológicas
Fone: (48) 3721-4690
eduardo.luiz@ufsc.br
Neurobiologia Comparada: Evolução de sistemas monoaminérgicos
e de suas funções comportamentais e na neurogênese adulta (M/D)
Esta linha investiga o papel de circuitos centrais serotonérgicos e catecolaminérgicos no controle da ingestão de alimentos/balanço energético e suas relações com a neurogênese hipotalâmica e hipocampal em animais adultosProf. José Marino Neto
Dr. em Fisiologia - ICB/USP
Laboratório de Ciências Fisiológicas
Fone: (48) 3721-7085 - ramal: 7085
j.marino@ufsc.br
Neurobiologia da Depressão (M/D)Investigar a ação de compostos endógenos e de plantas medicinais em modelos animais de depressão, analisando seu mecanismo de ação através de estudos farmacológicos e bioquímicos. Profa. Ana Lúcia Severo Rodrigues
Dra. em Bioquímica - UFPR/UFRGS
Laboratório de Neurotoxicologia
Fone: (48) 3721-5043
alsrodri@gmail.com
Neurobiologia da dor e da inflamação (M/D)Investigar através de estudos pré-clínicos “in vivo” e “in vitro” a ação antinociceptiva (analgésica) ou antiinflamatória de fármacos ou substâncias obtidas de plantas medicinais ou endógenas em modelos animais de nocicepção e inflamaçãoProf. Adair Roberto S. dos Santos
Dr. em Farmacologia - UFSC
Laboratório de Neurobiologia da Dor e Inflamação – LANDI
Fone: (48) 3721-4685 - ramal: 4685
adair.santos@ufsc.br
Neurobiologia das doenças neurodegenerativas (M/D)Ênfase no estudo dos mecanismos neurobiológicos e bioquímicos (celulares e moleculares) envolvidos na patofisiologia e terapêutica das doenças neurodegenerativas (ênfase nas doenças de Parkinson e Alzheimer) através da utilização de modelos experimentaisProf. Rui Daniel S. Prediger
Dr. em Farmacologia -UFSC
Laboratórios de Neuropsicofarmacologia
Fone: (48) 3721-2475 - ramal: 2475
ruidsp@hotmail.com
Neurobiologia das doenças neurológicas imunomediadas (M)Ênfase no estudo dos mecanismos neuroimunológicos e bioquímicos envolvidos na patofisiologia das doenças neurológicas imunomediadas (ênfase na Esclerose Múltipla e Neuromielite Óptica) através da utilização de modelos experimentaisProf. Rafael Cypriano Dutra
Dr. em Farmacologia - UFSC
Laboratório de Autoimunidade e Imunofarmacologia (LAIF), localizado na UFSC - Campus Araranguá
Fone: (48) 37216448
rafaelcdutra@gmail.com
Neurobiologia do exercício físico (M/D)Estudos dos mecanismos neurobiológicos, bioquímicos e moleculares induzidos pelo exercício físico no sistema nervoso central, através de modelos experimentais de exercício físico, doenças neurológicas e distúrbios neuropsiquiátricos.Prof. Aderbal Silva Aguiar Júnior
Dr. em Farmacologia – UFSC
Laboratório de Bioquímica
Fone: (48) 3721-5565 e-mail: aderbal.aguiar@ufsc.br
Neurobiologia dos transtornos neurológicos (M/D)Investigação neuroquímica e de biologia molecular da fisiopatologia de doenças neurológicas em pacientes e modelos experimentais “in vivo” e “in vitroProf. Roger Walz
Dr. em Ciências Biológicas - UFRGS
Depto. de Clínica Médicas - CCS
Fone: (48) 3721-9149
rogerwalz@hotmail.com
Estudo da modulação da neuroplasticidade hipocampal em doenças do desenvolvimento e em processos neurodegenerativos, como o que ocorre na doença de Huntington
(M/D)
Investigar o papel de possíveis moduladores da neuroplasticidade no controle da progressão da doença de Huntington e na reversão dos sintomas cognitivos e humorais da síndrome alcoólica fetal em modelos animaisProfa. Patrícia de Souza Brocardo
Dra. em Neurociências - UFSC
Depto. de Ciências Morfológicas - CCB
Fone: (48) 3721-4907
patibrocardo@gmail.com

Neurobiologia Celular e Molecular

NomeDescriçãoDocentes Responsável (is)
Estudo dos mecanismos moleculares que relacionam o colesterol com o risco de desenvolvimento da Doença de Alzheimer (M/D)Estudar os mecanismos pelos quais a hipercolesterolemia contribue na patofisiologia da DA. A compreensão dos eventos moleculares que medeiam as inter-relações entre tais fatores de risco e como eles se estabelecem ao longo do tempo, contribuirão no entendimento dos mecanismos neuropatológicos da DA. Neste sentido, a disfunção mitocondrial, o estresse oxidativo e a inflamação, eventos decisivos e comuns na patogênese tanto da DA como da hipercolesterolemia, podem ser o elo de ligação entre estes fatores de risco e a DAProfa. Andreza Fabro de Bem
Dra. em Ciências Biológicas (Bioquímica Toxicológias) - UFSM
Laboratório de Bioquímica
Fone: (48) 3721-9589
andrezadebem@ccb.ufsc.br
Fisiopatologia e futuros tratamentos nas doenças neuropsiquiátricas (M/D)Investigar a susceptibilidade genética e o envolvimento da resposta imune na fisiopatologia de algumas doenças neuropsiquiátricas, assim como, esclarecer a relação com as vias apoptóticas, inflamatórias e oxidativas. Além disso, o estudo do mecanismo relacionado ao aparecimento e progressão dessas doenças, pode contribuir para o surgimento de novas estratégias diagnósticas e terapêuticas mais efetivas para esses pacientesProfa. Michele Rechia Fighera
Dra. em Ciências Biológicas (Neurociências) - UFSM
Laboratório de Psiquiatria
Fone: (55) 3220-9378
mrfighera@yahoo.com.br
Investigação dos mecanismos moleculares e consequências funcionais da SUMOilação de proteínas em modelos in vitro e in vivo de doenças neurodegenerativas (M/D)Investigar através de estudos pré-clínicos, in vitro e in vivo, os mecanismos moleculares e as consequências funcionais da SUMOilação de proteínas em modelos de doença de Alzheimer, doença de Parkinson e epilepsia. Profa. Helena Iturvides Cimarosti
Dra. em Ciências Biológicas (Bioquímica) - UFRGS
Laboratório de Neurofarmacologia
Fone: (48) 3721-4844
helena.cimarosti@ufsc.br
Papel do exercício físico em modelos experimentais de traumatismo cranioencefálico (M/D)O traumatismo cranioencefálico (TCE) constitui um problema de saúde pública, sendo considerada uma das principais causas de morte entre crianças e jovens adultos em países desenvolvidos. O TCE pode ser definido como uma agressão mecânica externa ao encéfalo, que pode produzir um estado alterado de consciência levando ao comprometimento das habilidades cognitivas e/ou motoras. Neste contexto, o processo inflamatório tem papel importante do desenvolvimento e na exacerbação do dano secundário após o TCE, mediando, através da liberação de citocinas, o aumento da permeabilidade da barreira hematoencefálica (BHE), a formação de edema e promovendo o aumento da migração de leucócitos após o TCE. Sabe-se que o exercício físico oferece proteção sobre varias doenças e insultos do Sistema Nervoso Central (SNC). No entanto, poucos são os estudos que mostram os efeitos profiláticos da prática regular de exercício físico diante dos danos decorrentes do TCE. Portanto, o objetivo deste projeto é verificar se o exercício físico protege da resposta inflamatória aguda e do comprometimento motor e no deficit cognitivo induzido pelo TCE em ratos.Prof. Luiz Fernando Freire Royes
Dr. em Ciências Biológicas (Bioquímica) - UFRGS
Laboratório de Bioquímica do Exercício (BioEx) - UFSM
Fone; (55) 3220 6155
nandoroyes@yahoo.com.br
Neurobiologia das doenças neurológicas imunomediadas (M)Ênfase no estudo dos mecanismos neuroimunológicos e bioquímicos envolvidos na patofisiologia das doenças neurológicas imunomediadas (ênfase na Esclerose Múltipla e Neuromielite Óptica) através da utilização de modelos experimentaisProf. Rafael Cypriano Dutra
Dr. em Farmacologia - UFSC
Laboratório de Autoimunidade e Imunofarmacologia (LAIF), localizado na UFSC - Campus Araranguá
Fone: (48) 37216448
rafaelcdutra@gmail.com
Neuroproteção (M/D)Avaliar os possíveis mecanismos de ação pelos quais a agmatina, um neuromodulador endógeno e outros compostos com ação antidepressiva (memantina, duloxetina, mirtzapina, etc...) têm demonstrado uma ação neuroprotetoraProf. Nelson Horácio Gabilan
Dr. em Bioquímica - FMRP/USP
Laboratório de Bioquímica Celular e Molecular
Fone: (48) 3721-9589
ngabilan@ccb.ufsc.br
Resposta celular antioxidante em modelos animais (M/D)Regulação redox das respostas celulares envolvendo enzimas antioxidantes, metabolismo da glutationa, tióis protéicos e parâmetros relacionados. Avaliação do insulto oxidativo através de marcadores de danos a proteínas, lipídeos e ácidos nucléicosProf. Alcir Luiz Dafré
Dr. em Ciências Fisiológicas - UFRGS
Laboratório de Defesas Celulares
Fone: (48) 3721-7138
alcir.dafre@ufsc.br
Prof. Marcelo Farina
Dr. em Ciências Biológicas - UFRGS
Laboratório de Bioquímica
Fone: (48) 3721-4580 - ramal - 2480
farina@ccb.ufsc.br
Sinalização Celular, Neuroproteção e Neurotoxicidade (M/D)Fosforilação/defosforilação de proteínas e papel na neurotransmissão, neurotoxicidade, neuroproteção, função neuro-glial e neuroendócrina; ação de metais e toxinas naturais sobre as vias de sinalização celular e neurotransmissãoProf. Rodrigo Bainy Leal
Dr. em Bioquímica - UFPR/UFRGS
Laboratório de Bioquímica
Fone; (48) 3721-5045
rbleal@gmail.com
Transmissão glutamatérgica e neurotoxicidade (M/D)Estudar a transmissão glutamatérgica em seus aspectos fisiológicos e fisiopatológicos. Avaliar os mecanismos de modulação da morte celular induzida pela excitotoxicidade glutamatérgica e neurodegeneração no SNC de mamíferosProfa. Carla Inês Tasca
Dra. em Bioquímica - UFRGS
Laboratório de Neuroquímica 4
Fone: (48) 3721-5046
carla.tasca@ufsc.br
Transmissão purinérgica, neurotoxicidade e neuroproteção (M/D)Estudo da neurotransmissão de nucleosídeos e nucleotídeos da adenina e guanina e sua interação com doenças neurodegenerativas associadas à excitotoxicidade, como isquemia e crises convulsivas e doenças priônicasProfa. Carla Inês Tasca
Dra. em Bioquímica - UFRGS
Laboratório de Neuroquímica 4
Fone: (48) 3721-5046
carla.tasca@ufsc.br